Agile ou Waterfall: qual a metodologia é ideal para o seu projeto?

5 minutos para ler

A nossa experiência no desenvolvimento de projetos de diferentes portes, para diferentes empresas e de diferentes segmentos, deixou um ponto claro: não importa apenas o resultado final; COMO chegamos nesse resultado é tão importante quanto, e muitas vezes pode ser o fator de sucesso ou não.

A melhor maneira de abordar um projeto de desenvolvimento é se concentrar primeiro em seus objetivos de negócios. É preciso também atentar para as características específicas de cada método e entender como eles se adaptam a diferentes cenários. E é muito importante entender a maturidade da sua organização para lidar com qualquer uma das escolhas sobre métodos, Waterfall ou Ágil.

O que é método Waterfall?

Em linhas gerais, a metodologia Waterfall (ou Cascata) apresenta uma abordagem linear para o desenvolvimento, baseando-se no planejamento rigoroso e na execução do plano passo a passo, em sequências rígidas de etapas bem planejadas. Dessa forma, apresenta menos suscetibilidade a mudanças, seguindo uma sequência específica do início ao fim.

Em processos Waterfall, os requisitos se tornam ainda mais importantes. Uma vez que eles são levantados, a jornada de produção segue para as outras fases, sem que haja volta para redesenhar o que já foi definido. Ou seja, o seguimento linear não comporta possíveis retorno a momentos que já ocorreram ou dispensa de etapas.

Nessa abordagem há um fluxo mais organizado de tarefas e processos, com escopo, prazos e custos bem definidos. Por isso, há uma previsibilidade maior de cada etapa. Portanto, na metodologia cascata, se por um lado o trabalho pode ser conduzido de forma mais cuidadosa e completa, por outro, após a conclusão, o resultado pode não ser o esperado, pois todo o trabalho em um projeto foi baseado na documentação inicial.

Para processos que exigem muita documentação, trabalham com objetos físicos ou apresentam certeza dos requisitos, o desenvolvimento em cascata pode ser interessante. O aspecto-chave é a flexibilidade: se não há necessidade dessa característica, o método Waterfall é uma opção ideal, portanto.

O que é metodologia Ágil?

A metodologia Ágil, ou Agile, é uma abordagem de desenvolvimento iterativa e baseada em equipe. Essa metodologia enfatiza a entrega rápida de um aplicativo em componentes funcionais completos. Em vez tarefas e cronogramas, são criadas fases chamadas de “sprints”. Cada sprint tem uma duração definida (geralmente em semanas) com uma lista contínua de entregas, planejada no início de cada sprint.

As entregas são priorizadas pelo valor do negócio, conforme determinado pelo cliente. À medida que o trabalho é concluído, ele pode ser revisado e avaliado pela equipe do projeto e pelo cliente. O Agile depende de um alto nível de envolvimento do cliente em todo o projeto, principalmente durante essas revisões.

A metodologia Agile propõe uma mudança de cultura, com alguns princípios como base: focar mais os indivíduos e as interações, buscar respostas às mudanças que podem surgir, focar o software em funcionamento e priorizar colaboração com o cliente.

Se o produto deve ser mais personalizado e o projeto é mais complexo, para nichos muito específicos, os métodos ágeis são recomendados. Quando o foco é um projeto mais rápido, com processos suscetíveis a riscos e sem requisitos muito estáveis, essa pode ser a alternativa mais adequada para obter os melhores resultados.

Quais são as diferenças entre Agile e Waterfall?

Uma grande diferença nas duas metodologias é o envolvimento do cliente. Enquanto no desenvolvimento Ágil, o cliente está sempre sendo questionado acerca do projeto, com feedbacks a cada pequena entrega funcional, no desenvolvimento em Waterfall, o cliente é crucial no início, no levantamento de requisitos, e depois espera o resultado na etapa final.

Outra diferença principal está relacionada às mudanças que podem ocorrer. A Waterfall possui uma abordagem sequencial. O Agile é mais flexível e permite uma margem de manobra maior em qualquer fase. Mas se o Agile possui mais flexibilidade durante o projeto, ele exige uma maturidade e comprometimentos muito maior, não só do parceiros de tecnologia quanto do próprio cliente e sua equipe.

Com relação aos testes, temos outra diferença significativa. No modelo de desenvolvimento em Waterfall, os testes tendem a ser uma parte do processo, geralmente ao fim. Uma vez que tudo está pronto e implementado, a equipe então roda baterias de testes a fim de validar o que feito e identificar possíveis falhas.

Para as metodologias Ágeis, os testes como uma etapa no final se tornaram um problema a ser resolvido. Por isso, elas propõem testes que ocorrem a todo momento, geralmente já em sequência da implementação de alguma funcionalidade. Com essas validações específicas, a equipe consegue chegar a um resultado mais sólido e eliminar diversas nuances de erros que podem ocorrer.

Mas então, qual a metodologia que a [ kolekto ] adota em seus projetos?

A nossa experiência nos levou ao desenvolvimento de uma metodologia própria e híbrida, o [ kolekto ] liveflow, resultado da junção de melhores práticas de Waterfall, Agile, Scrum e Kanban.

Junto com a prototipagem funcional, para usuários visualizarem as soluções em um momento inicial de desenvolvimento, o [ kolekto ] liveflow quer trazer mais visibilidade, colaboração e controle para a gestão de projetos e equipes interna e dos clientes. O foco não está na metodologia, está em realizar entregas o mais rápido possível, com valor ao cliente, excelência e qualidade.

Neste post, você pode entender como funciona o [ kolekto ] liveflow, ou entre em contato com a gente que nossos consultores ajudarão a entender como nossa metodologia pode ajudar você e sua empresa.

Posts relacionados

Deixe uma resposta