Saiba tudo sobre cloud computing agora mesmo!

7 minutos para ler

Cloud computing é uma das principais tecnologias que fazem parte da transformação digital de uma empresa. Essa é uma modernidade que está ganhando cada vez mais espaço no mercado, o que ocorre pelos diversos benefícios em adotá-la.

Para que você se inteire sobre o assunto, neste artigo explicamos o conceito, como ele funciona no campo prático, quais são as vantagens para a sua empresa e, por fim, os tipos de nuvens existentes. Acompanhe!

O que é cloud computing?

Cloud computing significa computação em nuvem, e se trata de um modelo computacional no qual a armazenagem de arquivos, a utilização de programas e o processamento de informações são realizados em servidores de terceiros, bastando que você tenha conexão à internet.

Informações e arquivos são alocados em ambientes on-line que podem ser acessados simultaneamente por várias pessoas, a qualquer momento e por meio diferentes dispositivos, como um computador de mesa, notebook, smartphone ou tablet.

A tecnologia já existe há um tempo e é comumente utilizada nas rotinas de pessoas e empresas. Ao trocar e-mails pelo Gmail ou pelo Hotmail, por exemplo, você está usando serviços em nuvem. A mesma lógica se aplica ao enviar, editar e baixar arquivos no Google Drive ou no OneDrive.

Com o passar do tempo, a computação em nuvem evoluiu e se tornou mais ampla, sendo utilizada para diferentes aplicações. Algumas delas são:

  • serviços de e-mail na nuvem;
  • plataformas de gestão;
  • gestão de dados;
  • ambientes de teste para o desenvolvimento de aplicativos;
  • serviços de backup (cópias de segurança);
  • serviços de streaming.

Como ele funciona na prática?

Na prática, a computação em nuvem é usada para armazenar informações do contratante ou é utilizada juntamente com outra solução. Por exemplo, os gestores ou colaboradores de um negócio podem usar uma plataforma de gestão de relacionamento com o consumidor (CRM) sem a necessidade de instalá-la em seus computadores de mesa ou dispositivos móveis.

Entretanto, há 3 diferentes formas de contratar serviços em nuvem, sendo importante conhecê-los para entender como poderão ajudar seu negócio no alcance de objetivos. Veja-os a seguir.

SaaS — Software como serviço

Os provedores hospedam uma plataforma que é acessada pelos navegadores web dos usuários, como Mozilla e Chrome. Eventuais atualizações de segurança, manutenções e correções de erros, ou bugs, são feitas pela empresa contratada diretamente em seus servidores, o que significa que o contratante não precisa fazer downloads em seus dispositivos.

Geralmente a distribuição é sob demanda e baseada em assinaturas, ou seja, contrata-se um plano que permite acesso à solução durante semanas ou meses.

IaaS — Infrastructure como serviço

Consiste no aluguel de uma infraestrutura de Tecnologia da Informação (TI), como servidores, armazenamento, redes, máquinas virtuais, entre outros. Sua finalidade é atender demandas pontuais e esporádicas, como um aumento de acessos na plataforma em épocas de aumento de vendas.

PaaS — Plataforma como serviço

O PaaS oferece um ambiente para desenvolvimento, fornecimento, testes e gestão de programas. Ele também é feito sob demanda e objetiva facilitar o desenvolvimento de soluções móveis e web.

Os desenvolvedores não precisam se preocupar com infraestrutura de servidores, armazenamento e redes necessárias para desenvolver suas plataformas.

Dentro dessa categoria também está o que é chamado de “computação sem servidor”, que tem foco na criação de funcionalidades para aplicativos. O provedor em nuvem é responsável pelo planejamento de capacidade e a gestão dos servidores.

Quais são as vantagens do cloud computing?

Armazenar e compartilhar dados pela nuvem traz um grande número de vantagens para as empresas. Entenda os principais deles nos tópicos seguintes.

Redução de custos

O benefício mais notável é a redução dos custos totais no negócio. De forma geral, a modernização diminui gastos com impressão, papel, tinta, clipes, e assim por diante.

Mas a cloud computing também minimiza os custos com infraestrutura do departamento de TI, como aquisição de servidores e computadores, atualização de hardware, manutenção de máquinas, entre outros.

Otimização de recursos

A mão de obra é um dos principais recursos otimizados com a computação em nuvem. A empresa contratada é responsável pela manutenção do software e do hardware contratados, fazendo com que os profissionais de TI do seu negócio se concentrem em outras atividades.

O espaço físico da empresa necessário para o setor de TI também é otimizado, pois não é preciso alocar um ambiente específico para armazenar as peças físicas dos computadores.

Mobilidade

Graças à nuvem, pode-se acessar plataformas, arquivos e dados de qualquer localidade, em qualquer momento, bastando ter um dispositivo e internet móveis. Isso permite fazer reuniões à distância e faz com que os gestores sejam capazes de acompanhar o desenvolvimento de atividades e tomar decisões mesmo distantes do negócio.

Produtividade

Usar serviços em nuvem garante maior agilidade nos processos operacionais ao diminuir o índice de erros humanos e otimizar o tempo de realização de tarefas. A tecnologia também concede aos colaboradores acesso às informações a partir de qualquer lugar, o que possibilita o trabalho em home office.

Escalabilidade

Escalabilidade é a capacidade de expandir os serviços da empresa e a quantidade de clientes sem aumentar os custos na mesma proporção. Caso seja necessário obter maior espaço para o processamento de informações, por exemplo, pode-se contratar serviços em nuvem mais amplos.

Não é preciso que a empresa adquira novos serviços, reserve mais espaço físico no estabelecimento, atualize as máquinas antigas, entre outros gastos.

Quais são os tipos de nuvens?

Existem variados tipos de computação em nuvem, que se diferenciam em aspectos como objetivos, custos, disponibilidade, performance e expectativas. A seguir, explicamos as peculiaridades das situações em que são mais indicadas.

Nuvem pública

Os recursos computacionais são oferecidos a qualquer pessoa física ou jurídica que deseje contratá-los. O cliente é responsável pelo que será enviado à nuvem, enquanto o provedor cuida da manutenção, da gestão das máquinas ou da segurança. Esse tipo é o ideal quando um plano comum satisfaz sua empresa.

Nuvem privada

A fornecedora mantém uma infraestrutura em nuvem em um ambiente próprio e oferece acesso a usuários autorizados, como parceiros, clientes e colaboradores. Essa modalidade permite que a contratada personalize o serviço da forma que melhor satisfaça às necessidades dos usuários, o que é recomendado quando sua empresa tem especificidades a serem atendidas.

Nuvem híbrida

Esse tipo consiste em uma junção dos modelos anteriores. Há recursos que são utilizados publicamente por qualquer pessoa interessada, bem como funcionalidades personalizáveis.

Multiclouds

Multicloud é uma estratégia em que se disponibiliza dois ou mais ambientes de nuvem simultaneamente. Ela surgiu com o objetivo de contornar problemas como perda de dados e downtime — período de inatividade do servidor, geralmente para manutenção. Porém, ela também é usada para integrar serviços de diferentes nuvens e aumentar a segurança.

É importante diferenciar esse conceito da nuvem híbrida. Enquanto esta última diz respeito ao fornecimento de serviços gerais e outros específicos, a multicloud fornece múltiplos servidores em nuvem.

Com esta leitura, você entendeu como a cloud computing funciona no campo prático e quais são os seus tipos e as vantagens conquistadas pela sua empresa. Entretanto, é preciso encontrar um fornecedor que disponibilize serviços em nuvem que sejam capazes de atendê-lo.

Assine a nossa newsletter para receber conteúdos informativos como este diretamente na sua caixa de entrada. É gratuito!

Posts relacionados

Deixe uma resposta