Design thinking e experiência do cliente: veja a relação e os benefícios obtidos

7 minutos para ler

Um dos grandes desafios das empresas é proporcionar o que seus clientes esperam, independentemente se são serviços ou produtos, eles precisam estar adequados ao consumidor. Desde o atendimento até a entrega, tudo deve ser perfeitamente muito bem pensado, com a garantia de que a clientela terá o que precisa para aplicar às suas necessidades — e para conquistar isso, o design thinking é uma metodologia fundamental.

Não basta apenas desenvolver bons serviços e produtos, afinal, muitas pessoas têm capacidade para fazer isso, já que é necessário apenas ter qualificação. Na verdade, trata-se especificamente de proporcionar ao cliente algo que seja bom e, principalmente, que funcione bem na sua realidade. Para isso, é necessário entender perfeitamente suas necessidades, para, então, entregar a solução adequada.

Neste post, trataremos mais sobre como o design thinking é importante para ajudar as empresas a proporcionarem uma experiência do cliente perfeita. Confira!

Como as empresas trabalham o design thinking pensando no usuário?

O design thinking tem a proposta de dar suporte para que as empresas sejam capazes de pensar em soluções que resolvam os problemas, necessidades e dificuldades do cliente. A base dessa técnica é aplicar, principalmente, a criatividade e a inovação para chegar aos resultados — características fundamentais para projetos específicos e voltados às demandas de cada cliente.

Quando a experiência do cliente é colocada como prioridade, significa que a empresa está dispostas a fazer com que esse processo de desenvolvimento e entrega seja ágil e satisfatório. Por isso, a dedicação é personalizada e intensificada, já que se torna possível aliar competência à adequação da realidade do que o cliente espera — uma solução perfeita precisa entregar resultados!

O papel do design thinking na experiência do cliente

Nesse contexto, design thinking parte das necessidades específicas do cliente. Um negócio que trabalha com vendas, por exemplo, precisa de uma solução digital que automatize o disparo de e-mails de follow-up, além de outras atividades relacionadas às suas atividades internas

Uma empresa que desenvolve soluções precisa ter todas essas necessidades da rotina como prioridade. Elas serão a base do trabalho, já que a ideia é encontrar os meios para garantir que tudo seja devidamente proporcionado por essa solução em desenvolvimento. O grande desafio que o design thinking ajuda a superar é justamente o entendimento completo dos problemas.

Os clientes sabem as dificuldades que têm e, parcialmente, entendem como elas poderiam ser resolvidas. Diante disso, o papel do design thinking é facilitar essa experiência, encontrando os caminhos perfeitos para gerar a solução ideal.

Como funciona na prática essa relação?

Aplicar o design thinking para encontrar o melhor para o cliente é um processo. Na prática, quando ele é executado, há diferentes etapas que garantem que o resultado seja satisfatório. Esse ciclo de diferentes fases é progressivo e, principalmente, leva ao cliente a possibilidade de visualizar como será o resultado de maneira mais concreta.

A seguir, veja como funciona a aplicação do design thinking na prática e entenda mais detalhadamente todas as fases de desenvolvimento!

Contato com o cliente para entender as demandas

Se reunir com o cliente é o momento inicial e fundamental desse processo. É nesse encontro que ele transmitirá, de forma simplificada, todas as dificuldades que encontra, além das suas ideias para a solução que precisa. O processo começa justamente quando tudo está na mesa, ou seja, há o entendimento de onde o cliente quer chegar.

O design thinking criará, a partir disso, os caminhos mais adequados e entregará as soluções adequadas. Nesse processo é aplicado um método ágil de estudo de possibilidades, já que isso garante que o projeto seja conduzido com mais agilidade. A fase inicial é composta por reuniões com brainstorm e todo tipo de debate, tudo sempre com muita coleta de informação.

A empresa que trabalha no desenvolvimento da solução precisará estimular o cliente e falar bastante sobre a ela, seus serviços e de que maneira pretende melhorar. A partir disso, um banco de dados valioso é criado e, então, o design thinking entra em ação, já em uma fase interna do trabalho marcada por debate de ideias e criatividade.

Lapidar ideias até chegar a uma solução concreta

O time que trabalha na solução precisa se aprofundar nas ideias coletadas e nos problemas do cliente para pensar em soluções precisas. Isso envolve reuniões com os desenvolvedores da equipe para entender a possibilidade de aplicar funcionalidades na plataforma, por exemplo — é uma etapa em que também é feito o estudo de viabilidade.

Depois desse trabalho interno, há outra reunião com o cliente, dessa vez já com ideias prontas para serem apresentadas. Não quer dizer que elas serão definitivas, uma vez que os clientes podem contestar, pedir ajustes e também fazer adaptações. O ideal é permitir essa flexibilidade, mas sempre com firmeza e propriedade para justificar ideais.

O ideal é que tudo que for proposto seja lapidado e levado até um ponto de perfeição, ou seja, uma solução que seja bem desenvolvida, que realmente funcione de maneira prática e que atenda o cliente. Um bom resultado é aquele que resolve a necessidade principal apresentada!

Simular em âmbito digital como a solução funcionará

Com ideias prontas e aprovadas, a solução será desenvolvida e simulada na realidade em que o cliente a aplicará. Por isso, telas da plataforma são projetadas para apresentar exatamente como a sua solução funcionará no cotidiano.

Essa é uma fase importante, pois, ajudará a concretizar toda a ideia que foi debatida durante o processo. Se o funcionamento agradar o cliente, então há a aprovação para que a plataforma que entrega a solução seja totalmente desenvolvida. Por fim, há a garantia de que as necessidades serão resolvidas com eficiências, de forma funcional e adequadas à realidade do negócio.

Quais são os benefícios de se pensar na experiência do usuário?

Desenvolver a experiência de usuário com suporte do design thinking é um diferencial para empresas que pensam em como podem proporcionar o melhor para os seus clientes em seus serviços e produtos. A seguir, entenda melhor alguns benefícios que fazem toda diferença em um mercado competitivo!

Soluções mais satisfatórias

Uma das falhas de empresas B2B é não pensar mais especificamente no usuário de seus serviços. Esse erro pode custar caro ao engajamento e aos resultados do negócio. Basicamente, trabalhar a experiência de usuário é facilitar a vida dos seus colaboradores, e por isso, algumas plataformas desenvolvidas sob bases específicas costumam gerar melhores experiências.

Crescimento de mercado

Uma empresa que trabalha desenvolvendo a experiência do usuário também está mais propícia a ter desenvolvimento no mercado. O aumento da competitividade tem como ponto de partida a maior produtividade interna. Ou seja, se os seus colaboradores desenvolvem suas demandas com mais eficiência, naturalmente os resultados serão satisfatórios.

A experiência do usuário é importante para que as empresas consigam otimizar seus serviços. Diante disso, o design thinking é a metodologia mais apropriada para ajudar esses negócios a encontrarem as melhores soluções para resolver suas necessidades e criar aplicações funcionais.

Gostou do conteúdo e quer saber mais sobre o assunto? Então, assine a nossa newsletter e receba outros materiais como este diretamente no seu e-mail.

Posts relacionados

Deixe uma resposta